" /> Kaya Scodelario para a Schön! Magazine | Kaya Scodelario Brasil
Voltar para o início

Após dez anos de pausa na televisão, Kaya Scodelario está de volta e pronta para a ação. Ela começou o ano estrelando na série Spinning Out da Netflix, uma história emocionalmente intensa centrada no retorno de uma patinadora artística ao gelo após uma lesão grave. Ela também está em uma adaptação da BBC One e da Amazon Studios de The Pale Horse, de Agatha Christie, que será lançada em fevereiro.

Enquanto Kaya certamente estpa com a agenda cheia, Spinning Out é um projeto que ela mantém especialmente perto de seu coração. Após o lançamento da série, Schön! conversou com a atriz inglesa sobre as filmagens de Spinning Out, seus maiores desafios e como seria uma segunda temporada.

Spinning Out é a sua primeira série de televisão desde Skins. Como foi voltar à TV depois de quase dez anos? Alguma coisa que você sentiu falta (ou odiou) em particular?
Eu estava um pouco nervosa por voltar à TV depois de dez anos e me acostumei com o ritmo de filmagem, que é muito mais lento. Em um cenário típico de filme, você grava uma ou duas páginas por dia, enquanto na TV um dia médio de filmagem é de 8 a 9 páginas. Por um lado, isso pode ser assustador, porque é muito para aprender, especialmente se, como eu, você é disléxico, mas logo percebi que realmente gosto de ser pressionada. É mais fácil permanecer na psique do personagem quando você está constantemente em movimento – às vezes nos sets de filmagem, leva quatro horas para gravar você andando por um corredor. Não há tempo para isso na TV.

Como você começou a trabalhar em Spinning Out?
Eu li o piloto enquanto filmava Crawl (Predadores Assassinos) na Sérvia e imediatamente me senti conectada a Kat de uma maneira que não sentia por um personagem há muito tempo. Eu gravei um vídeo no meu quarto de hotel e obtive respostas alguns meses depois. Eu fui direto para o treinamento.

Suas dublês nas série foram patinadoras incríveis, incluindo Michelle Long e Elizabeth Putnam. Como foi o seu relacionamento com elas, e como elas te ajudaram ou deram dicas para o que você estava fazendo na tela?
Tivemos as duplas mais incríveis com as quais todos formamos laços. Eles não apenas fizeram um trabalho fantástico para garantir que parecíamos tecnicamente autênticos no gelo, mas também nos ajudaram a entender o lado social de ser um patinador competitivo. Sentávamos no almoço e eles contavam suas experiências pessoais de ‘mães patinadoras’, lesões, drama e tudo mais. Foi uma ótima maneira de nos ajudar como atores a construir histórias anterior e entender nossos personagens não apenas como atletas, mas também como pessoas.

Como foi sua preparação para patinar no gelo em Spinning Out?
Intenso! Eu só descobri que tinha conseguido esse papel dois meses antes do início das filmagens, então eu realmente tive que trabalhar o meu corpo. Comecei a treinar por uma hora todos os dias em Londres, depois quatro horas três vezes por semana com Sarah Kawahara quando cheguei ao Canadá. Além do treinamento no gelo, estava tendo aulas de dança e balé para garantir que eu tivesse as habilidades de patinação na coreografia da competição e a graciosidade que Kat carrega em seus movimentos de braço.

Fora do gelo, que outra preparação você fez para o papel de Kat?
Eu fiz uma extensa pesquisa sobre transtorno bipolar, pois era muito importante para mim que nossa interpretação fosse honesta e informativa. Tenho alguma experiência pessoal com familiares que vivem com problemas de saúde mental e realmente queria ter certeza de que entrei nisso com o máximo de conhecimento possível.

Esta série é bastante emocional. Como você manteve a atmosfera no set durante as filmagens de uma série tão intensa?
Felizmente, todos nos demos muito bem no segundo em que nos conhecemos. Realmente ajuda quando você sente que ir ao trabalho pode ser divertido. Todos nós ficávamos no meu trailer entre as cenas, nos conhecendo e nos fazendo rir.January é especialmente uma das pessoas mais divertidas que já conheci.

Qual foi a parte mais desafiadora de gravar Spinning Out?
O clima no Canadá. Fazia menos 20 graus na maioria dos dias – meu sangue meio brasileiro não estava preparado para isso. Ainda não está.

A série um terminou com um grande cliffhanger. Você tem alguma ideia do que uma segunda temporada pode trazer?
Eu não faço ideia! Eu implorei ao showrunner, Sam, para me dizer, mas ela não está dando nada.

Agora que a série terminou, qual foi o momento mais memorável de ver a reação do público sobre Spinning Out?
Recebi lindas mensagens de jovens lutando com seus próprios problemas de saúde mental. Eles disseram que a série é a interpretação mais honesta de suas experiências que eles viram. Isso significa o mundo.

Além de atuar, você também se tornou o rosto da linha de joias da Cartier, Clash de Cartier, na primavera de 2019. Como alguém com um longo interesse em moda, o que significava para você ser o rosto de uma grande marca de joias?
Foi tão maravilhoso trabalhar com Cartier. Eles criaram uma linha que realmente fala comigo. A dualidade de uma mulher, os dois lados da moeda; sou eu em poucas palavras e estou tão feliz que eles me deram uma plataforma para abraçar isso.

Entrevista: Schön! Magazine | Tradução e adaptação: Equipe Kaya Scodelario Brasil

Nome: Kaya Scodelario Brasil
Sigla: KSBR
Online desde: 26/01/2020
Webmiss: Beatriz Frazão
Hospedagem: Flaunt.nu
Design: Uni Design

|

The Pale Horse
Status: Disponível na BBC One
Personagem: Hermia
Lançamento: 2020

Spinning Out
Status: Disponível na Netflix
Personagem: Kat Baker
Lançamento: 2020

Crawl
Status: Disponível em DVD, Blu-Ray e streaming
Personagem: Haley
Lançamento: 2019

Voltar para o início
Kaya Scodelario Brasil Todos os direitos reservados